CCR do Baixo e povo Tingui Botó propõem projeto diferenciado para a bacia do rio Boacica

segunda-feira, 11 de março de 2013
Durante encontro ocorrido na sexta-feira (83) na aldeia do povo indígena Tingui Botó, no município alagoano de Feira Grande, no Baixo São Francisco, lideranças indígenas e da Câmara Consultiva Regional – CCR formataram uma proposta diferenciada para o projeto de recuperação hidroambiental da bacia do rio Boacica, no trecho que atravessa a aldeia.

O projeto, que tem caráter permanente e de longo prazo, será apresentado ao Comitê da Bacia Hidrográfica do Rio São Francisco – CBHSF, a fim de ser incorporado ao Plano de Aplicação Plurianual – PAP 2013-2015 do colegiado, que dispõe sobre a utilização dos recursos originários da cobrança pelo uso da água. Além dos 450 habitantes da aldeia, a iniciativa  deverá beneficiar toda a população a jusante do lugar, até a foz do São Francisco.

TinguiBoto05

Embora centrada na recuperação hidroambiental, a proposta atribui peso decisivo aos componentes educacional e participativo, de modo a envolver, além dos especialistas, os professores, crianças, jovens e mestres indígenas, atribuindo assim à comunidade o papel de protagonista das ações e aliando o conhecimento técnico ao saber tradicional para tornar perenes a visão, os conhecimentos, valores e posturas gerados e consolidados ao longo do processo.

Conduzido pelo coordenador da CCR do Baixo, Carlos Eduardo Ribeiro Junior, e pelo líder indígena Marcos Sabaru, o encontro concebeu o projeto como uma experiência efetiva de gestão participativa dos recursos hídricos da bacia do rio Boacica, que corre inteiramente em território alagoano: nasce no município de Girau do Ponciano, passa por Arapiraca e atravessa o território dos Tingui Botó, em Feira Grande, seguindo por São Sebastião, para desaguar no rio São Francisco, já no município de Igreja Nova.

A ideia é revegetar as margens do rio e dos nove pequenos riachos, mediante ações ambientalmente sustentáveis: a produção local de mudas de espécies nativas; a preparação de adubo a partir do lixo orgânico da comunidade; o plantio das mudas e a conservação das espécies. Em relação às nascentes, a proteção se dará por meio de cercamentos vivos, utilizando mudas de avelós, em consórcio com espécies nativas, como macambira e mandacaru. Também serão construídos ou ampliados reservatórios de água (barreiros), para fins de irrigação da produção agrícola.

TinguiBoto03

As ações incluirão o uso de ferramentas de geoprocessamento, a identificação e o inventário da flora nativa, além do monitoramento permanente da qualidade ambiental e da água. Na aldeia será implantado um Ponto de Convivência com a Natureza, para abrigar o banco de sementes e as ações educativas e de capacitação.

O projeto prevê a oferta de uma série de pequenos cursos e capacitações durante dois anos, envolvendo técnicos e especialistas ligados a instituições de ensino e pesquisa de Alagoas, devido ao conhecimento que têm da realidade estadual, além dos professores indígenas da escola que funciona na aldeia dos Tingui Botó e também dos mestres indígenas que detêm o conhecimento ancestral sobre os seres vivos que habitam o Baixo São Francisco.

Ao longo do território dos Tingui Botó, o rio Boacica e os riachos afluentes encontram-se em razoável estado de conservação e preservação, uma vez que o acesso à área é controlado e as práticas locais não são predatórias. A recuperação de cobertura vegetal objetiva ampliar o tempo do fluxo anual dos riachos intermitentes. A comunidade já produz mudas de espécies nativas, que seria ampliada, e conta somente com um reservatório de água, para atividades agrícolas e consumo animal.

Ação ambiental e cultural

As crianças e os jovens serão os principais atores desse processo, como explica o coordenador da CCR do Baixo: “A idéia é que a garotada se envolva e perceba a importância de preservar as margens, para ter um rio mais limpo e um território mais saudável. É um projeto aparentemente pequeno, porém preocupado com a perenidade das ações e com o empoderamento da população local, que vai se envolver do início ao fim”.

O líder Marcos Sabaru também destaca as singularidades da proposta: “É uma coisa pequena, barata, a ser construída com poucos recursos, basicamente sementes e garrafas Pet, mas é um projeto para a comunidade, com a comunidade e que tem a cara da comunidade. Não está centrado numa pessoa só, então se alguém for embora daqui isso se sustenta. É algo que nasceu da nossa vontade e é para continuar acontecendo no nosso território daqui a 30, 40 anos ou mais. É um projeto para produzir água, oxigênio, mudas, mas principalmente o bom viver”.

Além da ação ambiental, Sabaru destaca a importância conferida à ação cultural: “Estaremos trabalhando também a cabeça das pessoas, para que os jovens envolvidos sejam os futuros multiplicadores do projeto, as futuras lideranças indígenas, as futuras lideranças do Comitê do São Francisco. E as oficinas envolverão também o lenhador, que nos passará o seu conhecimento sobre as árvores; o pescador, que nos falará sobre os peixes, ou o caçador, que contará sobre os bichos daqui. Eles vão ensinar e aprender, juntamente com os jovens. Será uma experiência para mexer com a cabeça das pessoas agora, e também para as futuras gerações. Esse é um projeto para o futuro”, concluiu.

Fonte:http://cbhsaofrancisco.org.br/sala-de-imprensa/noticias/ccr-do-baixo-e-povo-tingui-boto-propoem-projeto-diferenciado-para-a-bacia-do-rio-boacica

TinguiBoto02

Anúncios

Uma opinião sobre “CCR do Baixo e povo Tingui Botó propõem projeto diferenciado para a bacia do rio Boacica”

  1. A riqueza cultural desse povo precisa ser conhecida,por todos os outros…um abraço de carinho para vocês… se precisarem de assessoria cultural contem conosco…

Comente

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s